GT 13 Os feminismos negros, afroperspectivações interseccionais e decoloniais no processo de formação profissional em serviço Social

Autores

  • Cibele da Henriques (UFRJ)
  • Rosimar Souza dos Santos Borges (UFRJ)

Palavras-chave:

feminismos negros, Interseccionalidade, decolonialidade, Serviço Social

Resumo

O GT objetiva refletir sobre como o heteropatriarcado, o racismo estrutural e a mononormatividade têm produzido relações sociais generificadas, cárceres sócio-raciais e a (re)colonização dos corpos negras/os na sociedade Brasileira. Tendo como pressuposto que a população negra na sociedade brasileira é a principal usuária das políticas públicas intencionamos apresentar e publicizar as pesquisas e práticas sociais contra-colonialistas e antirracistas e quilombistas tecidas pelas/os assistentes sociais no cotidiano profissional que contribuem para enfrentar as opressões raciais de classe, gênero, sexualidade, território e religião na sociedade brasileira. Como também refletir como categoria “Amefricanidade” visa construir uma consciência ancestral coletiva de luta ladina afro-quilombola interseccional e decolonial nos espaços de formação profissional em serviço social e nos espaços sócio-ocupacionais que possibilite existências pluriversais.

GT 13 - Sessão 1 - Dia 18/12/2020 das 14h às 16h30

  • Violência doméstica e familiar: o atravessamento interseccional   vitimando mulheres negras

           Emily Miranda, Régia Mabel da S. Freitas

  • A contribuição de Intelectuais Negras para uma perspectiva antirracista na formação em Serviço social

           Dione Rodrigues Pires

  • As contribuições de bell hooks para um feminismo plural no Brasil

           Tais Freitas

  • A obra “quarto de despejo” e suas contribuições para o Serviço Social brasileiro

           Thaisa Silva Martins

Publicado

2021-03-05

Lista

Seção

Grupos de Trabalho