Minicurso 10 Diálogos Interseccionais entre Carolina Maria de Jesus e Guerreiro Ramos

Sessão única: 17 de dezembro

Autores

  • Cibele da Silva Henriques (UFRJ)
  • Ariana Kelly dos Santos (UFRJ)

Palavras-chave:

racismo estrutural, Interseccionalidade, território de favela, Universidade

Resumo

O curso intenciona promover diálogos entre dois intelectuais que autodeclaram sua pertença racial negra e questionam a objetificação negra na sociedade brasileira quer seja engendrada pelos estudos sociológicos, quer seja fomentada pelas práticas sociais “enlatadas e importadas” que não expressavam as reais necessidades da população negra periférica no contexto histórico desenvolvimentista. É a partir do Canindé, que Carolina Maria de Jesus, mulher negra, mãe e periférica, experimenta o imaginário pós-colonial de Guerreiro Ramos, orientado pelas bases interpretativas críticas, que questionam o fazer sociológico no Brasil que apresenta o negro como um problema social a ser estudado, exotizado e patologizado pela brancura nacional. Carolina Maria de Jesus demonstra a partir dos seus escritos a interseccionalidade das opressões, expressando que não existe um sujeito mulher universal. Em suas obras ela critica as desigualdades e violências vivenciadas a partir da classe, do gênero e da raça, colocando em xeque a produção epistemológica hegemônica, que parte da experiência da população branca. A população negra, na atualidade, se constitui como o principal público atendido pelas políticas sociais, mas como as/os profissionais atuam com esse público no cotidiano? Tem sido possível realizar uma escuta qualificada a partir das trajetórias dessa população ou o olhar para esse grupo continua a ser a partir da epistemologia dominante, que os invisibiliza e nega o seu direito a existência? Esse curso visa trazer à tona reflexões sobre o racismo estrutural e suas expressões na produção acadêmica e nos territórios de favela.

Principais tópicos do curso:
- Guerreiro Ramos e o imaginário pós-colonial: aspectos introdutórios;
- Guerreiro Ramos e a construção da/o “negra/o tema” e “negra/o vida”;
- A interseccionalidade das opressões apresentada por Carolina Maria de Jesus;
- Elementos que marcam o processo de formação dos territórios de favelas no Brasil;
- A violência institucional como expressão do racismo estrutural;
- Guerreiro Ramos e Carolina de Jesus: diálogos interdisciplinares do racismo à brasileira.

Metodologia de ensino: 
Exposição dialogada que prevê a participação das/os participantes e a construção de dinâmicas interativas de apreensão do conteúdo ministrado.

Referências Bibliográficas:
BARBOSA, M. Santana. “Guerreiro Ramos: o personalismo negro”. Revista Tempo Social. São Paulo: USP, v. 18,n. 2, nov. 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ts/v18n2/a11v18n2.pdf . Acesso em 20/09/2020.
CAMPOS, Andrelino. Do quilombo à favela: a produção do “espaço criminalizado” no Rio de Janeiro. 5ºed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.
COSTA, Gracyelle. Assistência Social, no enlace entre a cor e gênero dos (as) que dela necessitam. In: O social em questão. Ano XX, nº 38, Mai. a Ago. 2017. Disponível em: http://osocialemquestao.ser.puc-rio.br/media/OSQ_38_art_12_Costa.pdf . Acesso em 20/09/2020.
FILGUEIRAS, F. Guerreiro Ramos, a redução sociológica e o imaginário pós-colonial. Caderno CRH. vol.25 no.65 Salvador maio/ago. 201. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0103-49792012000200011&lng=pt&nrm=iso
HENRIQUES, C. As Expressões Do Racismo Institucional Nas Universidades Federais Do Estado Do Rio De Janeiro: Mulheres Negras Trabalhadoras e Intelectuais. Cadernos de Estudos Sociais e Políticos. V.7, N.13 (2017). Disponível em: https://www.epublicacoes.uerj.br/index.php/CESP/article/view/33026/27671. Acesso em 20/09/2020.
JESUS, Carolina Maria de. Quarto de Despejo. 1960. Disponível em: https://historiaafrosuzano.files.wordpress.com/2016/10/1960-quarto-de-despejo-p1.pdf . Acesso em 20/09/2020.
OLIVEIRA, Lícia L. “O olhar sociológico de Guerreiro Ramos”.  Revista Mnemosine Vol. 2, nº2, p. 183-190 (2006). Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/mnemosine/article/view/41416/pdf_85 . Acesso em 20/09/2020.
MOURA, Clóvis. História do Negro Brasileiro - Série Princípios. São Paulo: Editora Ática S.A, 1992. P. 83. Disponível em: https://drive.google.com/drive/folders/1JPdheJ9tPkTARaZPopq9nJgEedU9UC-D . Acessado em 22 de setembro de 2020.
RAMOS, A. G. A Redução sociológica. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1996. 
SANTOS. Ariana Kelly. Favela é resistência: a luta das mulheres no enfrentamento à conjuntura de violação de direitos. In: 16º Congresso Brasileiro de Assistentes Sociais. Brasília: 2019. Anais Eletrônico. Brasília/DF, 2019. Disponível em: https://broseguini.bonino.com.br/ojs/index.php/CBAS/article/view/1392 . Acesso em 20 de setembro de 2020.

 

LISTA DE INSCRITOS CONFIRMADOS

Ananda Vilela da Silva Oliveira
Aline Cristina da Paixão Costa
Benedita Rosa Pinto Dos Santos
Cassiano Sussumu Guimarães Miyamoto
Cassiano Sussumu Guimarães Miyamoto
Christian Pereira Soares
Elisabete Vitorino Vieira
Ermelinda Marçal
Gleyce Figueiredo de Lima
Jaqueline Silva Ayello
Jenifer Guarnieri Cardoso
Karina Rosa da Rosa d
Magda Aparecida de Oliveira Prado
Miriã Dos Santos Reis
Priscila Schacht Cardozo
Rita Danielle Alves Schultz
Sandra Jose rodrigues
Sara Ribeiro Silva
Thais Cristina Souza de Oliveira

Publicado

2021-03-05

Lista

Seção

Minicurso