GT 15 O Estado penal e o genocídio do povo negro no Brasil

Autores

  • Luiza Sousa de Carvalho (UnB) UNB
  • Leonardo Rodrigues de Oliveira Ortegal UNB

Resumo

Ancorado no racismo estrutural e institucional, o Estado brasileiro produz, por meio de sua dimensão penal, um sistema de controle e extermínio da população negra. A seletividade penal e racial identificada nestes processos expressam o genocídio antinegro em sua face mais dramática. As instituições prisionais, o sistema socioeducativo e as forças policiais destinam atenção intensificada aos corpos negros, produzindo encarceramento em massa e o extermínio, que denomina as taxas de homicídio consideradas epidêmicas pela Organização Mundial de Saúde.

A cada 23 minutos um jovem negro e vítima de homicídio no Brasil, de acordo com os números já superados do Mapa da Violência de 2016. A população prisional, por sua vez, triplicou nos últimos 20 anos e hoje soma mais de 773 mil pessoas privadas de liberdade, sendo que, destas, pelo menos 60% são negras. Nesse sentido, é urgente a necessidade de compreender as agências do Estado brasileiro nessa realidade. 

Nos interessa aqui, não apenas apresentar ou discutir essa realidade, mas, principalmente evidenciar e problematizar o racismo enquanto elemento organizativo que nos insere, desde a colonização, numa realidade genocida. Além disso, a tomada de consciência acerca desse problema, a partir do pensamento negro e antirracista, e a capacidade de compreensão e de produção de estratégias de enfrentamento e reexistência frente ao genocídio negro no Brasil também são objeto de interesse neste grupo de trabalho.

GT 15 - Sessão 1 - Dia 16/12/2020 das 14h às 16h30

  • Negros são os mais envolvidos no tráfico de drogas ou são os únicos na mira?

           Bruna Suelen de Camargo de Souza

  • “Nossos mortos têm voz”: Violência de Estado e genocídio a partir de movimentos de mães e familiares de vítimas

            Suellen Ferreira Guariento Guariento

  • O Genocídio do povo negro no Brasil: a morte, a margem ou a grade 

           Karina Guimarães de Alencar

  • (DES)PROTEÇÃO SOCIAL, RACISMO E SUPERENCARCERAMENTO: Análise dos fatores que influenciam na recorrência de massacres em presídios nacionais.

            Luiza Sousa de Carvalho

  • Necropolítica: Os reflexos da greve da Polícia Militar no Espírito Santo em 2017 e o genocídio do povo negro

           Emily Almeida, Rosimery Soares Loiola

 

 

GT 15 - Sessão 2 - Dia 17/12/2020 das 14h às 16h30

  • Masculinidades negras e socioeducação: uma análise a partir de oficinas com adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa

            Gyovanna Hyamonna Gomes de França

  • O sistema penal brasileiro e o genocídio da população negra: o racismo estrutural e suas expressões institucionais

           Giovanna Canêo, Priscila Fernanda Gonçalves Cardoso, Adeildo Vila Nova

  • A relação estrutural entre capitalismo e racismo: o genocídio da população negra enquanto projeto societário.

           Daniel Alves

  • RACISMO, CAPITALISMO DEPENDENTE E ENCARCERAMENTO DO NEGRO NO GOVERNO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES

           Thiago Martins da Cruz, Ana Clara da Rocha Lima

  • A cor e a classe da morte: juvenicídio e o eugenismo contemporâneo

           Bruna Carolina Silva dos Reis, Patricia Leme de Oliveira Borba, Sônia Regina Nozabielli

 

GT 15 - Sessão 2 - Dia 18/12/2020 das 14h às 16h30

  • Monetização do Racismo no Brasil da escravidão ao encarceramento em massa

            Vanda Theodoro Silva

  • Negros são os mais envolvidos no tráfico de drogas ou são os únicos na mira?

           Bruna Suelen de Camargo de Souza, Ana Paula Moreira

  • O Estado punitivo e a criminalização de corpos negros: o encarceramento em massa no Brasil

           Marina de Oliveira, Cristiane Luiza Sabino de Souza

Publicado

2021-03-05

Lista

Seção

Grupos de Trabalho